Dinâmicas Competitivas

O Cluster de Competitividade Engineering & Tooling beneficia de um conjunto de vantagens significativas, especialmente:
 
Marketing da Indústria (quer a nível nacional quer internacional, a nossa Indústria de Engineering & Tooling passa a ser distinguida não apenas pelo Governo Português, mas a nível Internacional, passa a ser mais claro o seu reconhecimento como área de ação estratégica para o desenvolvimento da economia);
 
Configuração de Programas Específicos para a Indústria (maior facilidade de articulação com o Governo e com os incentivos à Indústria);

 

  • Atores Chave (dimensões: Associativa, Tecnológica, Formativa, Empreendedora);
  • Diagnóstico & Plano Estratégico (a 10 anos);
  • Plano de Ação (a 5 anos);
  • Indústria de Conhecimento e Capital Intensivo, baseada na Inovação;
  • Indústria Fortemente Exportadora;
  • Liderança Internacional Reconhecida;
  • Mercados Exigentes (Países / Produtos);
  • Elevado Potencial: Competência, Qualificações, Competitividade Empresarial, I&D;
  • Rede Internacional. 

 

Estratégias de Eficiência Coletiva (EEC)

Entende-se por Estratégias de Eficiência Coletiva (EEC) o conjunto coerente e estrategicamente justificado de iniciativas, integradas num Programa de Ação, que visem a inovação, a qualificação ou a modernização de um agregado de empresas com uma implantação espacial de expressão nacional, regional ou local, que fomentem, de forma estruturada, a emergência de economias de aglomeração através, nomeadamente, da cooperação e do funcionamento em rede, entre as empresas e entre estas e outros atores relevantes para o desenvolvimento dos setores a que pertencem e dos territórios em que se localizam.

 

Clusters de Competitividade

Os Clusters de Competitividade são um instrumento de incentivo à criação de redes de inovação e traduzem-se em parcerias integradas por empresas, e instituições de suporte relevantes, nomeadamente instituições de I&DT, de ensino superior e de formação profissional, que partilhem uma visão estratégica baseada em atividades inovadoras, orientada para o desenvolvimento de projetos de elevada intensidade tecnológica e com forte orientação e visibilidade Internacional.

 

Plano Estratégico

 De forma a desenvolver um conjunto de recomendações estratégicas ajustadas à realidade concreta das empresas, importa distinguir diferentes tipos de empresas a atuar no Setor:

  • Empresas de engenharia, conceção e comercialização (tipicamente de pequena ou média dimensão);
  • Empresas de maquinação (tipicamente de pequena dimensão);
  • Empresas integradas, com engenharia, conceção e produção (tipicamente de média ou grande dimensão).

 

Tendo por base as tipologias de empresa acima definidas e de forma a desenvolver estratégias de sucesso no mercado, definiu-se um conjunto de recomendações sobre o posicionamento a assumir pelas empresas que desse resposta às suas necessidades. Estas recomendações assentam em 4 áreas fundamentais:

  • Base tecnológica;
  • Competências internas;
  • Relacionamento com os clientes;
  • Posicionamento competitivo.

 

Foi definido um mapa estratégico para as empresas desta Comunidade, salientando as áreas chave para as empresas de engenharia, conceção e comercialização e para as empresas de maquinação.

Neste mapa reforça-se a necessidade de estabelecer um diálogo permanente entre as diferentes áreas de competência e de base tecnológica.

Desta forma, depois de uma reflexão alargada, podemos afirmar que as opções estratégicas identificadas com vista ao reforço do posicionamento competitivo das empresas são as seguintes:

  • Elevada especialização; 
  • Aposta em mercados nicho ou produtos em fases iniciais do ciclo de vida (menor competição); 
  • Enfoque em produtos de elevada complexidade;
  • Aposta em áreas com elevadas barreiras à entrada pela dimensão (micro ou macro) ou pela complexidade da maquinação.

 

Orgãos Sociais

Assembleia Geral

A Assembleia Geral da Pool-net, é composta pelo conjunto dos seus Associados Fundadores e Aderentes.

Mesa da Assembleia Geral:

  • Presidente: Telmo Ferraz (Planimolde, S.A)
  • Vice-Presidente: Manual Espirito Santo (Moldoplástico, S.A)
  • Secretário: Claúdia Novo (Erofio, S.A)

  

Direção

A Direção da Pool-net, mandatada por três anos, é composta por cinco Associados, sendo três representantes de empresas, um do CENTIMFE e outro da CEFAMOL, que deverá desempenhar o cargo de Presidente.

  • Presidente: João Faustino (Cefamol)
  • Vice-Presidente: Pedro Colaço (APIP)
  • Vogais:
    • José Costa (Moldit)
    • Víctor Oliveira (MP Tool)
    • Joaquim Menezes (CENTIMFE)
    • Miguel Machado (Famolde, S.A)
    • Pedro Colaço (KLC, Lda)

 

Conselho Fiscal

Conselho Fiscal é constituído por três titulares eleitos pela Assembleia Geral, sendo um deles Presidente, e integrando obrigatoriamente um ROC.

  • Presidente: Jorge Santos (VIPEX, S.A)
  • Vogal: António Pontes (Universidade do Minho)
  • Vogal: Luís Pinto (ROC)

 

Associados

 

Organograma

 

 

Organograma