NOTE! This site uses cookies and similar technologies.

If you not change browser settings, you agree to it. Learn more

I understand

 

What are cookies?

Cookies are small text files that sites visited by users send to their terminals, where they are stored, to be later retransmitted to the same sites during subsequent visits. Cookies are used for a number of different purposes, have different characteristics and can be used either by the owner of the site being visited or by third parties. All the necessary information on the cookies installed via this site is set out below, together with instructions on how to manage your preferences.

For further information on cookies and their general functions, visit an information Web site such as allaboutcookies.org.

Cookies used by this site

Technical Cookies that do not require consent:

Cookies relating to activities which are strictly necessary for the functioning of the site and the supply of the service:

PHPSESSID: it is a technical session cookie. The website uses this cookie to send data about session status, through a temporary cookie, called “session cookie”. This cookie is deleted when the user closes the terminal.

Cookies relating to the saving of preferences and optimisation:

  • Wfvt_: is a session cookie. This cookie is used to prevent attacks to the website.

Statistic Cookies used directly by the site operator to collect information in aggregated form:

  • __utma: is a cookie lasting 2 years. This is a Google Analytics Cookie used to collect anonymous stats about website usage.
  • __utmz: is a cookie lasting 6 months. This is a Google Analytics Cookie used to rcollect anonymous stats about website usage.
  • _ga: is a third-party cookie lasting 2 years. This is a Google Analytics Cookie used to distinguish users.
  • _gat: is a third-party cookie lasting 10 minutes. This is a Google Analytics Cookie used to obtain an overview of visitors to the mobile site

Technical Third-party Cookies – Google Analytics – Non-profiled user data at IP level.

Not all technical cookies require consent, and they are therefore installed automatically as soon as the site is accessed.

Cookies requiring consent

All cookies other than the above-mentioned technical cookies are only installed or activated once express consent has been given by the user the first time he or she visits the site. Consent can be given on a general basis, interacting with the brief information banner found on the site landing page, adopting the methods indicated in the banner (click on the OK key or the X key; or, if the user continues to navigate, also by scrolling the page or via a link); or it can be given or withheld selectively, adopting the methods indicated below. This type of consent is tracked during subsequent visits. However, the user can always withdraw consent already given, either wholly or partly.

Cookies operated by third parties:

Cookies operated by third parties are also installed through this site.

Remember that you can also manage your cookie preferences through the browser

If you don’t know the type and version of the browser you are using, click on “Help” at the top of the browser window, from which you can access all the information you require.

If, on the other hand, you know your browser, click on the one you are using to gain access to the cookie management page.

Internet Explorer

http://windows.microsoft.com/en-us/windows-vista/block-or-allow-cookies

Google Chrome

https://support.google.com/accounts/answer/61416?hl=it

Mozilla Firefox

http://support.mozilla.org/en-US/kb/Enabling%20and%20disabling%20cookies

Safari

http://www.apple.com/legal/privacy/

For further information, visit the page www.youronlinechoices.eu.

 

Dinâmicas Competitivas

O Cluster de Competitividade Engineering & Tooling beneficia de um conjunto de vantagens significativas, especialmente:
 
Marketing da Indústria (quer a nível nacional quer internacional, a nossa Indústria de Engineering & Tooling passa a ser distinguida não apenas pelo Governo Português, mas a nível Internacional, passa a ser mais claro o seu reconhecimento como área de ação estratégica para o desenvolvimento da economia);
 
Configuração de Programas Específicos para a Indústria (maior facilidade de articulação com o Governo e com os incentivos à Indústria);

 

  • Atores Chave (dimensões: Associativa, Tecnológica, Formativa, Empreendedora);
  • Diagnóstico & Plano Estratégico (a 10 anos);
  • Plano de Ação (a 5 anos);
  • Indústria de Conhecimento e Capital Intensivo, baseada na Inovação;
  • Indústria Fortemente Exportadora;
  • Liderança Internacional Reconhecida;
  • Mercados Exigentes (Países / Produtos);
  • Elevado Potencial: Competência, Qualificações, Competitividade Empresarial, I&D;
  • Rede Internacional. 

 

Estratégias de Eficiência Coletiva (EEC)

Entende-se por Estratégias de Eficiência Coletiva (EEC) o conjunto coerente e estrategicamente justificado de iniciativas, integradas num Programa de Ação, que visem a inovação, a qualificação ou a modernização de um agregado de empresas com uma implantação espacial de expressão nacional, regional ou local, que fomentem, de forma estruturada, a emergência de economias de aglomeração através, nomeadamente, da cooperação e do funcionamento em rede, entre as empresas e entre estas e outros atores relevantes para o desenvolvimento dos setores a que pertencem e dos territórios em que se localizam.

 

Clusters de Competitividade

Os Clusters de Competitividade são um instrumento de incentivo à criação de redes de inovação e traduzem-se em parcerias integradas por empresas, e instituições de suporte relevantes, nomeadamente instituições de I&DT, de ensino superior e de formação profissional, que partilhem uma visão estratégica baseada em atividades inovadoras, orientada para o desenvolvimento de projetos de elevada intensidade tecnológica e com forte orientação e visibilidade Internacional.

 

Plano Estratégico

 De forma a desenvolver um conjunto de recomendações estratégicas ajustadas à realidade concreta das empresas, importa distinguir diferentes tipos de empresas a atuar no Setor:

  • Empresas de engenharia, conceção e comercialização (tipicamente de pequena ou média dimensão);
  • Empresas de maquinação (tipicamente de pequena dimensão);
  • Empresas integradas, com engenharia, conceção e produção (tipicamente de média ou grande dimensão).

 

Tendo por base as tipologias de empresa acima definidas e de forma a desenvolver estratégias de sucesso no mercado, definiu-se um conjunto de recomendações sobre o posicionamento a assumir pelas empresas que desse resposta às suas necessidades. Estas recomendações assentam em 4 áreas fundamentais:

  • Base tecnológica;
  • Competências internas;
  • Relacionamento com os clientes;
  • Posicionamento competitivo.

 

Foi definido um mapa estratégico para as empresas desta Comunidade, salientando as áreas chave para as empresas de engenharia, conceção e comercialização e para as empresas de maquinação.

Neste mapa reforça-se a necessidade de estabelecer um diálogo permanente entre as diferentes áreas de competência e de base tecnológica.

Desta forma, depois de uma reflexão alargada, podemos afirmar que as opções estratégicas identificadas com vista ao reforço do posicionamento competitivo das empresas são as seguintes:

  • Elevada especialização; 
  • Aposta em mercados nicho ou produtos em fases iniciais do ciclo de vida (menor competição); 
  • Enfoque em produtos de elevada complexidade;
  • Aposta em áreas com elevadas barreiras à entrada pela dimensão (micro ou macro) ou pela complexidade da maquinação.

 

Orgãos Sociais

Assembleia Geral

A Assembleia Geral da Pool-net, é composta pelo conjunto dos seus Associados Fundadores e Aderentes.

Mesa da Assembleia Geral:

  • Presidente: Telmo Ferraz (Planimolde, S.A)
  • Vice-Presidente: Manual Espirito Santo (Moldoplástico, S.A)
  • Secretário: Claúdia Novo (Erofio, S.A)

  

Direção

A Direção da Pool-net, mandatada por três anos, é composta por cinco Associados, sendo três representantes de empresas, um do CENTIMFE e outro da CEFAMOL, que deverá desempenhar o cargo de Presidente.

  • Presidente: João Faustino (Cefamol)
  • Vice-Presidente: Pedro Colaço (APIP)
  • Vogais:
    • José Costa (Moldit)
    • Víctor Oliveira (MP Tool)
    • Joaquim Menezes (CENTIMFE)
    • Miguel Machado (Famolde, S.A)
    • Pedro Colaço (KLC, Lda)

 

Conselho Fiscal

Conselho Fiscal é constituído por três titulares eleitos pela Assembleia Geral, sendo um deles Presidente, e integrando obrigatoriamente um ROC.

  • Presidente: Jorge Santos (VIPEX, S.A)
  • Vogal: António Pontes (Universidade do Minho)
  • Vogal: Luís Pinto (ROC)

 

Associados

 

Organograma

 

 

Organograma